Tour pela história da moda…

Você já teve a curiosidade de saber quando surgiu a moda? É fato que quando pensamos na história da moda e da alta-costura logo vem à cabeça nomes como Coco Chanel, Christian Dior, Louis Vuitton, etc. Mas a moda veio muito antes disso!

A moda surgiu ao longo do século XV, logo no início do renascimento europeu. A palavra moda significa costume e provém do latim modus.

O mais curioso é que a variação das particularidades das roupas e acessórios surgiu para diferenciar o que antes seguia um padrão único, pois usava-se um estilo de vestimenta desde a infância até a morte.

A partir da Idade Média, as peças eram diferenciadas, porém seguindo um padrão que aumentava segundo a classe social. Aliás, para se ter uma ideia, houve até leis que restringiam tecidos e cores somente aos nobres.

Quando a revolução industrial no século XVIII surgiu, o custo dos tecidos diminuiu de forma notável. Em 1850 com a invenção das máquinas de costura, o custo dos tecidos caiu ainda mais. Este foi o ponto histórico para que até os mais humildes pudessem comprar roupas melhores.

Mesmo após a facilidade das confecções, as mulheres ainda eram privadas da modernidade continuando a usar roupas sob medida. A partir desta dificuldade, surgiu a alta costura que produzia diferentes estilos por meio de estilistas que inventavam tendências. E é aí que entram Coco Chanel, Christian Dior, Louis Vuitton.

História da Moda e Padrão de Beleza

Os padrões de beleza são mutáveis. A cada década surgem modelos para estabelecer o que é considerado belo, e a moda se tornou uma aliada importante nessas referências. É claro que os padrões dependem do contexto cultural, social e histórico de cada época. Confira a seguir pouco das mudanças e suas consequências na sociedade.

Anos 1600 a 1700

Esses são os famosos séculos nos quais os corpos mais robustos eram os preferidos e considerados ideais. Quanto maiores fossem os corpos, mais demonstravam riqueza e beleza.

Anos 1800 a 1900

Em plena Era Vitoriana, as mulheres usavam utensílios como espartilhos e longos vestidos, para manter a cintura o mais fina possível. Não é de se estranhar que a maioria delas tinham problemas na coluna e deformações.

História da moda a partir de 1900

No ano de 1900, muitas mudanças aconteceram nos padrões e formas de entender a moda.

As roupas de alta qualidade eram confeccionadas apenas por costureiras, o que tornava as peças em artigos de luxo, a conhecida alta-costura. Porém, com o tempo, as máquinas de costuras se tornaram comuns, o que permitiu que as roupas fossem confeccionadas em grandes fábricas.

Foi a partir de então que o padrão masculino era representado pelos lutadores e homens mais fortes, podemos citar o fisiculturista Eugene Sandow. E depois, com a Primeira Guerra Mundial, veio o estilo elegante e refinado com bigodes.

Anos 1920

Nessa década, para as mulheres, o corpo ideal era o magro, sem curvas, o que vai no sentido contrário dos séculos passados. Além disso, optavam por cabelos curtos. As roupas eram mais retas e largas, permitindo que o corpo não ficasse marcado. Já os homens usavam um estilo arrumado com cabelos penteados.

Anos 1930 a 1940

Passando pela Grande Depressão da década de 1930, as pessoas deixaram de comprar e começaram a reparar e consertar as peças de roupa.

Por outro lado, o padrão do corpo feminino ideal volta a ser mais curvilíneo, com cintura levemente fina. Os homens continuavam imitando as estrelas de cinema, com estilo forte, ombros largos e músculos delineados.

Anos 1950 a 1960

Na década de 50, a roupa feita à mão se tornou acessível para a classe média. E nos anos 60, a indústria têxtil deslanchou, surgindo no mercado muitas empresas do ramo.

Certamente o padrão agora era outro: corpos magros, altos, sem curvas e com uma aparência jovem. A modelo Twiggy é o exemplo que influenciou muitos na época.

No mundo masculino, o padrão seguido era de homens como Elvis Presley e Marlon Brando, este último com estilo rebelde e roupa de couro.

Leia também: O clássico é eterno: roupas que nunca saem de moda

Anos 1980

Nessa década houve uma mudança na indústria de tecidos, e o vestuário começou a ficar mais barato. Então surgiu mais uma novidade: o ciclo das estações da moda, sendo primavera/verão e outono/inverno. O “bronzeado natural” foi a maior tendência dessa época entre homens e mulheres.

Anos 1990

Expandiu a chamada revolução fast fashion por todo o mundial da moda e, a partir de então, marcas estrangeiras entraram nos mercados locais, tornando a compra cada vez mais fácil e acessível.

O corpo desejado da época era o da modelo Kate Moss, um estilo muito magro, com ossos protuberantes. Os homens seguiam a linha grunge, passando uma imagem de despreocupação com o estilo.

Da história da moda para o padrão atual

Atualmente, já não temos mais um único padrão. É possível escolher entre roupas coloridas e estampadas, tons neutros e peças monocromáticas, peças justas ou soltas, croppeds, etc. Podemos dizer que a moda hoje é muito democrática, apesar de sempre vermos tendências sendo lançadas.

Já o padrão de beleza, ainda continua a preferência por corpos magros ou bem definidos. Porém o mais importante é focarmos sempre na saúde e bem estar, pois temos a liberdade para transformar nossos corpos conforme o que nos faz feliz e nos sentirmos bem com nosso reflexo no espelho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *