O futuro do mundo é circular

Não é novidade para ninguém que o meio ambiente poderá entrar em colapso nos próximos anos devido à alta quantidade de lixo produzida. Mas você sabia que a moda tem um papel grande nisso tudo? Já que é a segunda indústria mais poluente do mundo!

Para termos uma ideia, a moda é responsável por cerca de 10% de emissões de carbono na atmosfera e está envolvida em um enorme desperdício de água. Por exemplo: 3.400 litros de água são usados apenas para produzir uma única calça jeans. Sem contar, ainda, o nível de resíduos gerados.

No entanto, o acesso à informação está permitindo que os consumidores tenham uma melhor percepção relacionada ao aumento do consumo e crescente exploração dos recursos naturais.

Dentro desse contexto, conseguimos entender que a maior fonte de lixo são as indústrias de confecção. E, por mais que seja necessário reduzir ao máximo a geração de resíduos, é claro que não conseguiremos diminuir a zero.

Atualmente, muitos desses remanescentes são gerados durante o processo de produção por uma série de fatores. Entre eles estão: mal planejamento da criação, modelagem, corte e encaixe, qualidade ou falta de padronização das matérias-primas, mão de obra desqualificada, máquinas inapropriadas e muitos outros motivos.

O grande problema é o espaço que os resíduos gerados ocupam nos aterros sanitários. Sem contar que, quando descartados de forma incorreta, ainda podem contaminar o solo e a água e acarretar em um longo processo – levando anos ou décadas – para a degradação de recursos naturais não renováveis.

É a partir desses entendimentos que os conceitos de desenvolvimento e moda sustentável, circular e slow fashion surgiram e têm crescido cada vez mais. Isso fez com que muitas marcas reformulassem seus conceitos e formas de produção, como também deu espaço a um novo mercado. É aqui que o Toma se enquadra!

Slow Fashion

Ao contrário do Fast Fashion, o Slow vem com a ideia de que uma peça bem feita, com ótimos tecidos e caimento podem e devem durar por anos no seu guarda-roupas. Dessa forma, o consumo se torna menor e mais consciente.

A ideia do movimento não é ter várias peças diferentes, carregadas de símbolos da tendência do momento e que são passageiras, mas sim uma roupa que acompanhará várias de suas vivências, gerando muita história para contar.

O Slow Fashion é uma alternativa à produção em massa, que traz mais consciência ao que consumimos, nos fazendo pensar em como são produzidos, por quem e onde. Valorizando, ainda, a diversidade e forma de reutilização de cada peça.

Moda Cíclica x Circular

Vem com a gente porque cada conceito significa uma coisa diferente e, além de te explicar cada um, vamos te contar onde o Toma se encaixa.

Ouvimos muito por aí que determinada tendência de anos anteriores (como os 90 e os 2000) voltaram e é exatamente sobre isso o conceito da moda cíclica. Ela faz referência a todo o ciclo que a moda e as tendências percorrem continuamente.

Ao trazer à tona algo que já foi tendência, a indústria da moda revitaliza aquela peça, atualizando o conceito, modelagens ou cores usadas anteriormente. E isso pode ser visto, inclusive no alto luxo. Quem aí viu os acessórios que a marca Bottega Veneta lançou no começo de 2021 trazendo de volta a estética dos polêmicos “fios de telefone”?

Já a moda circular é baseada no conceito da economia circular, do desenvolvimento sustentável e é o que a gente segue aqui no Toma, Agora É Seu. O movimento segue o ciclo de vida de um produto de moda: desde sua concepção até o descarte final.

Pensando nisso, o objetivo do conceito dentro da moda é fazer com que esse ciclo de vida seja alargado, fazendo com que as peças sejam utilizadas, de fato, até seu “desgaste”  – inclusive, fazendo reparos, quando necessário e possível.

Mas como a gente entende que acabamos enjoando de algumas peças ou até que, ao amadurecermos, algumas roupas não fazem mais sentido com o nosso estilo, criamos o Toma. Assim, nossas peças cheias de histórias e, muitas vezes, ainda novinhas, podem ser passadas para outras pessoas completarem esse ciclo. E como está seu guarda-roupas? Tem alguma peça aí que precisa encontrar um novo dono? Acompanhe nosso Instagram e faça parte desse movimento!